Proposta Pedagógica - Pastoral

O Projeto Pedagógico – Pastoral é inovador em seus conteúdos educativos e assegura a formação integral da pessoa, por meio de desenvolvimento dos valores, da criticidade e da consciência de sua identidade cultural, social e religiosa sintonizada com os desafios e programas educacionais do Brasil, a RSE segue as orientações da Lei de Diretrizes e Bases (LBD) e dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) do Ministério da Educação, em permanente diálogo com o carisma e a missão salesiana. Desde 1918, o INSA, educa crianças e jovens, ensinado-os a enfrentar os desafios que a vida apresenta, garantindo, assim, todas as ferramentas necessárias ao educando para que assimile conhecimentos e interiorize verdadeiros e dignos valores do ser humano. Nossa escola tem como principal objetivo dar continuidade ao ideal pedagógico de D. Bosco e Madre Mazzarello, inspirado nos valores cristãos e marcado pelo paradigma de educar pelo amor mediante o prisma da reciprocidade.

Constitui-se em um espaço educativo para aprender a conviver; aprender a crer; aprender a aprender; aprender a ser e aprender a fazer. Um ambiente privilegiado de comunicação de ideias, reflexão e ação, solidariedade e, principalmente, respeito às diferenças. Desse modo, a organização da escola, a metodologia de trabalho, os referenciais teóricos e recursos didáticos são instrumentos para a construção deste projeto, além de caminho de qualificação constante para os educadores. O INSA garante qualidade de ensino e educação em todos os níveis: trabalha os conteúdos, capacita para o domínio de metas e técnicas. Utiliza-se de metodologia participativa e processos transformadores da realidade. Portanto o ensino é concebido como um conjunto sistemático de ações, cuidadosamente planejadas, ao redor dos quais conteúdo e forma articulam-se permanentemente.

As atividades permitem que professor e estudante compartilhem parcelas sempre maiores de significados em relação ao conteúdo do currículo escolar. Por isso, aspira a ser presença significativa no seu contexto sócio-cultural, consciente de que a construção de um projeto de vida, uma educação para o trabalho e a profissionalização, são instrumentos significativos para inserção dos jovens na sociedade moderna. Opta pela solidariedade, não como agente isolado, mas pela cultura da solidariedade, que é atitude permanente ou critério de acolhimento do outro de forma positiva, processual, partilhando continuamente os questionamentos e as respostas da vida. Vive atenta e sensível às necessidades dos pequenos, dos marginalizados, das minorias sociais. Vai ao encontro dos jovens, acolhe-os com solicitude, coloca-se em atenta escuta das suas aspirações, ajudando-os a construir seu projeto de vida. No horizonte antropológico da reciprocidade, o Instituto Nossa Senhora Auxiliadora assume uma proposta efetiva de educação para a autonomia responsável dos educandos, que se expressa tanto na aceitação da identidade sexual quanto no encontro autêntico entre eles, respeitando-se, mutuamente, em suas diferenças de gênero e sua igualdade pessoal. Com esta consciência serão capazes de desenvolver um projeto comum, com vistas à vivência da reciprocidade no amor, tornando-se testemunhas dos valores cristãos, na sociedade atual. Valoriza o ser mais que o fazer, o verdadeiro mais que o eficiente, a ética mais que a técnica, a comunhão mais que o êxito individual. Faz da alteridade a chave de interpretação da realidade, opondo-se ao modelo vigente de exploração e dominação. Oportuniza a experiência da vida como festa, pela vivência do espírito de família, que é o oxigênio da Pedagogia Salesiana. Nesse clima e, para gerá-lo e alimentá-lo, realizam-se atividades complementares essenciais como teatro, música, dança, esporte, celebrações, excursões, etc... Estimula-se também a experiência de grupo como lugar, onde se privilegia o protagonismo do jovem e, simultaneamente, se faz uma educação personalizada, favorecendo a comunicação interpessoal.

Ao término de sua jornada formativa, os estudantes do INSA estão capacitados para atuar com autonomia crítica, e aptos a compreender a sociedade atual e com conhecimentos, habilidades e valores necessários ao ingresso no Ensino Superior. Para auxiliar a realização de seus objetivos de educação integral, o INSA adota como um dos instrumentos de ensino, um material didático próprio e diferenciado desenvolvido pela Rede Salesiana de Escolas, unifica sua proposta pedagógica para todo o Brasil.

 

Sistema de avaliação

A avaliação, de acordo com o Projeto da RSE - Rede Salesiana de Escolas e com a Proposta Pedagógica do INSA, permite identificar os avanços e dificuldades do educando. Ela é contínua, pois ocorre no próprio trabalho dos estudantes, no dia-a-dia da sala de aula, no momento das discussões coletivas, da realização de tarefas em grupos ou individuais. A avaliação será essencialmente diagnóstica e formativa, subsidiando o trabalho pedagógico, redirecionando o processo ensino-aprendizagem para sanar dificuldades encontradas na aquisição de conhecimentos, aperfeiçoando a prática escolar.

No Ensino Fundamental e Médio, os resultados das avaliações serão expressos em notas de 0 (zero) a 10 (dez) com arredondamento de cinco em cinco décimos.

O rendimento escolar será verificado pela apuração da freqüência às aulas e da avaliação da aprendizagem mediante atividades, tais como: provas, seminários, trabalhos em grupo, pesquisas e as observações feitas pelo professor, considerando a participação do estudante, sua responsabilidade e pontualidade na execução das tarefas escolares.

A partir do 3º Ano do Ensino Fundamental até o Ensino Médio, os resultados das avaliações serão registrados trimestralmente e, semestralmente, no 1º e 2º ano do Ensino Fundamental.

A presença do estudante em todas as avaliações, incluindo entrega e apresentação de trabalhos, é obrigatória. Ao estudante que faltar, será atribuída nota zero (0), exceto nos seguintes casos deliberados pela direção e corpo docente: doença, gala, nojo, obrigações militares, serviço público obrigatório, doação de sangue, motivos religiosos, interrupção de transporte.

 

Promoção

Serão considerados, automaticamente, promovidos os estudantes que obtiverem média 6,0 (seis) em todas as disciplinas, após terem sido considerados e analisados o processo de aprendizagem com seus avanços em termos de construção do conhecimento e as habilidades desenvolvidas durante o período letivo.

No Ensino Fundamental e Médio, a decisão final sobre a avaliação do estudante e a possibilidade de promoção para o ano seguinte deve ser norteado por uma análise de desempenho global do estudante, no conjunto dos componentes do currículo.

Serão considerados promovidos os estudantes com rendimento satisfatório: média igual ou superior a 6,0 (seis) em cada componente curricular e freqüência igual ou superior a 75% do total de horas letivas. Serão considerados promovidos, após estudos de recuperação intensiva, os estudantes que obtiverem a média final igual ou superior a 6,0 (seis), resultante da soma das médias dos trimestres do ano letivo à nota do Exame Final, dividida por 2 (dois).

O Conselho de Classe é responsável pela decisão final sobre a avaliação do estudante e sua promoção.

A análise do desempenho acadêmico e global do estudante, ao final do período letivo, deve privilegiar os aspectos qualitativos sobre os quantitativos.

 

Recuperação

A Recuperação ao longo do período está ligada à avaliação diagnóstica que permite a identificação daqueles estudantes que não atingiram com proficiência os objetivos estabelecidos e os pré-requisitos necessários à nova aprendizagem.